O Ministério Público do Rio informou à Justiça fluminense ter encontrado “indícios suficientes” de desvio de dinheiro público, prática chamada de peculato, no gabinete do vereador Carlos Bolsonaro na Câmara Municipal da cidade, informa O Globo. Os desvios teriam ocorrido através da nomeação de funcionários “fantasmas” pelo gabinete do filho 02 de Jair Bolsonaro entre 2001 e 2019. Segundo